Bruno Eugênio

Talvez você reclame do stress causado pelo seu trabalho. Talvez você ache o nível de urgência alto demais… Mas já parou para pensar como é trabalhar como bombeiro? Sim, aqueles profissionais que estão sempre esperando pelo perigo, sempre alertas e em missões que envolvem um nível de perigo maior do que 90% das profissões do dia a dia? E o que será que estes profissionais podem nos ensinar sobre stress e organização que podemos aplicar no trabalho e na vida pessoal? Um post do excelente Lifehacker reuniu dicas do Firefighter Nation e de bombeiros profissionais que conseguem três coisas que os profissionais de outras áreas custam a entender: Treinamento, manter a calma sob pressão o senso do que fazer na hora certa.

Bombeiros  e sua rotina

Sem treinamento, não há como melhorar suas habilidades. Sem habilidades boas o suficiente não é possível executar atividades de maneira eficaz sob pressão e muito menos o senso de como reagir a determinadas situações na hora correta. Com isso em mente, eles conseguem se dar bem em situações que não são fáceis de lidar e dai podemos tirar boas lições.

O código SLICERS.

Este é o acrônimo que os bombeiros dos EUA têm adotado para se lembrar dos passos que devem fazer quando são colocados em situações de perigo. Abaixo a explicação:

  • Size up all scenes (Medir todos os cenários): Olhar os cenários é primeira ação de um bombeiro. Ele analisa e toma nota das condições do local, entradas, saídas… Para o nosso dia a dia, é analisar as situações como um todo e não apenas os problemas que temos que resolver a partir daquela situação.
  • Locate the fire (Localizar o Fogo): Localizar o fogo e as áreas mais quentes é primordial para o trabalho dos bombeiros. O fogo pode matar. No dia a dia, o fogo são os impactos que os problemas que estamos nos dispondo a resolver podem causar, não sendo suficiente apenas atacar os problemas e sim conhecer seus riscos e efeitos colaterais.
  • Identify & control the flow path (if possible) (Identificar e controlar o fluxo do fogo): Identificar o fluxo do fogo é identificar a movimentação das chamas e seus padrões em uma situação de emergência. Os bombeiros identificam estes padrões de formação e movimentação do fogo para o apagar de maneira eficiente, não permitindo sua volta. Assim como eles, o ideal é identificar e resolver os problemas de uma maneira que não eles não voltem, atacando seu fluxo.
  • Cool the heated space from a safe location (Esfriar a área quente de um local seguro): Depois de identificar o fluxo, o passo seguinte é esfriar a área quente de um local seguro. Um passo vital que requer atenção – primeiro em sua própria segurança (e do seu time) e depois a velocidade e a cobertura das áreas. Não adianta você agir para solucionar problemas sem ao menos garantir que você está realmente seguro e que suas ações não vão colocar o trabalho dos outros em risco.
  • Extinguish the fire (Eliminar o fogo): Após esfriar as áreas, os bombeiros terminam o tratamento do fogo o apagando por completo. Para nós, é primordial que após as soluções de contenção, o foco do problema seja eliminado por completo, com todas as medidas seguras dos passos anteriores.
  • Rescue and Salvage are actions of opportunity that may occur at any time (Resgate e Salvamento podem ocorrer a qualquer momento): Estas duas tarefas são contínuas desde o início ao fim da leitura dos passos – Se você encontrar alguma coisa que possa ser salva, salve-o. No dia a dia, a lição também é simples: se durante a resolução do seu problema alvo você encontrar algo de extrema importância que pode ser consertado imediatamente, conserte-o.

O interessante é notar que para os bombeiros, durante a batalha contra às chamas, pouco importa de onde elas surgiram: É tudo fogo! E na nossa vida pessoal e trabalho costumamos perder MUITO tempo focados em achar os culpados e os motivos pelos quais o fogo surgiu ao invés de propor soluções. O SLICERS pode nos ajudar a fazer um melhor uso do nosso tempo diante aos problemas diários.

Identificando coisas: E mails, listas e vítimas.

Hoje em dia somos bombardeados com dezenas de alertas por dia: E mails, listas, notificações… É muita coisa para nosso querido célebro fazer a triagem usando apenas o córtex pré-frontal como David Rock explica no Your Brain at Work, quanto mais “atores” colocamos no palco (memória auxiliar) fica mais difícil lembrar dos atores que nós contratamos para as próximas cenas. Usar uma classificação ligando cores e significados é uma técnica de triagem bastante usada pelos bombeiros e que, quando aliada a matrizes como a Matriz de decisão de Eisenhower, podem gerar resultados interessantes na guerra ao conteúdo lixo ao qual somos expostos:

gráfico

A matriz já é velha conhecida porém os bombeiros adicionaram uma camada adicional a mesma: Um quadrante com duas cores de identificação! Quando um bombeiro chega na cena do desastre e encontra feridos marcados com preto ou cinza, eles sabem que não vão poder aplicar maiores esforços naquelas vítimas pois o tratamento nelas significa deixar de aplicar tratamento em quem tem mais chances de sobrevivência. Pode parecer cruel mas o atendimento rápido pode salvar dez vidas ao invés de apenas uma. Já a outra cor do quadrante significa exatamente o que Eisenhower explicou: Não é importante e também não é urgente, podendo esperar sem problemas.

Padrões e Prática: Melhorando a memória. 

Bombeiros são conhecidos por sua mania por padrões e seus treinamentos exaustivos. Isso é parte vital do trabalho deles: Imagine você agora tendo que responder uma emergência para evacuar sua casa: Você saberia onde estão seus pertences mais importantes para a situação como carteira com documentos, calça e camisa de manga longa, calçado, relógio e possivelmente o celular? Se sim, você seria capaz de pegar tudo em menos de 2 minutos? Saiba que esse é o tempo que um míssil leva para sair de Gaza e chegar até Tel Aviv (e explodir no domo de ferro…). Nas situações do dia a dia talvez isso não seja útil para lidar com o nosso chefe porém aprender padrões de movimento (como os atalhos do teclado no Photoshop ou no Eclipse, por exemplo) podem fazer você ganhar um tempo precioso na execução das suas atividades diárias. Se você usa muito um determinado programa, dirige pelo mesmo caminho sempre deve tentar memorizar as ações de atalho ou de padrões para poder aumentar a velocidade de execução quando necessário. Os bombeiros sabem exatamente onde e como devem se mover a cada chamado de emergência, não importa se estão dormindo ou não.

E como aumentar essa velocidade? Praticando! Às vezes pensamos que a prática só é requerida para memorização e não é. Quem toca algum instrumento musical conhece bem esta prática adotada pelos bombeiros: Quem não consegue ir devagar, jamais vai conseguir ir rápido. O treino ajuda você a dominar todos os aspectos da habilidade ou tarefa que você está desenvolvendo a ponto de quando você tiver executado e memorizado bem todos os aspectos, atalhos e problemas que podem ocorrer durante tal atividade, ela se torna parte da área que requer menos esforço cerebral. Praticar sem o ritmo frenético do dia a dia é importante também para refinar a sua técnica e identificar pontos de melhoria. Quando tiver praticado o suficiente, experimente acelerar a execução aos poucos… E sinta-se como um bombeiro subindo uma escada em uma velocidade impressionante!

Saiba apreciar os bons momentos!

Vivemos no piloto automático hoje e é comum pensar que nosso trabalho é o mais estressante do mundo. Imagine você tendo uma sirene que pode disparar a qualquer momento e te levar para uma situação desafiadora a cada novo chamado. Com vidas dependendo de você, com pessoas lhe esperando em casa… É, a vida de um bombeiro realmente não é fácil porém eles sabem que os problemas são parte da vida e procuram manter uma visão otimista das coisas, aproveitando o carinho das crianças na rua (afinal, quem nunca sonhou em ser bombeiro? – pelo menos na minha época existiam carrinhos de bombeiro, capacetes… ah, a infância!!), boas conversas com quem os apreciam como profissionais e até mesmo um resgate de um gatinho na árvore.

dog-thanks-fireman-for-rescuing-her

Na próxima vez que você reclamar do seu emprego ou da sua atividade, vale a pena ter um ponto de vista otimista e tentar ver o lado bom da vida. Se isso ajuda profissionais com altíssimo nível de estress como os bombeiros dos EUA (e do Brasil também), pode ser útil para você.

comentários

comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *