Bruno Eugênio

Segundo o Amigoogle:

Soft Skills: personal attributes that enable someone to interact effectively and harmoniously with other people.

Ok, esse DEFINITIVAMENTE não é um post apenas para desenvolvedores de software, porém devo dizer que desenvolvedores e demais pessoas envolvidas no processo de desenvolvimento de software (DBAs, Analistas e etc, etc…) sofrem em um determinado ponto da carreira onde a técnica não é mais o diferencial entre a promoção e novos desafios profissionais: evoluir nas habilidades sociais é primordial para passos maiores na carreira de qualquer desenvolvedor. Além das coisas que aprendemos no nosso primeiro emprego,  quais são algumas habilidades que vão te ajudar a melhorar/consolidar sua posição como um bom desenvolvedor? Listei algumas aqui e espero que você consiga sair desse matagal desesperador que é a incerteza do futuro e de como os outros enxergam teu trabalho.

 

photo-1461295025362-7547f63dbaea (Medium)

Foto: Unsplash  –  João Silas

Regram máxima: habilidade técnica não é o diferencial quando o assunto reconhecimento profissional.

Aceite que entre duas pessoas com habilidades técnicas equiparáveis, recrutadores escolhem a pessoa que possui o perfil que seja hábil em outros campos além dos desejados para uma contratação/promoção. É simplesmente inútil ir contra isso por mais cruel que isso possa parecer, amigo. E isso vale até para profissionais liberais: os que ganham mais contratos são os que além de serem excelentes profissionais, têm alta empatia e assertividade.

 

Primeiro: ser o exemplo negativo não é “cool”, amigo. 

Existe a máxima que “A pior pessoa é quem define o aceitável”. Não ouviu falar? Provavelmente sim. Quando vivem em grupo, os seres humanos tendem à coletividade, uniformizando o comportamento e criando normas para o convívio social; por isso, pessoas que não entendem ou que simplesmente não concordam com as normas sociais de um determinado lugar são consideradas balizadoras do comportamento mínimo aceitável. Exemplo: se você chega atrasado e pouco se importa com isso mesmo após uma dura do seu superior, seu comportamento será considerado normal pelo resto do grupo, fazendo com que mais e mais pessoas acreditem nisso como norma ou costume daquele grupo. Virar alvo de reclamações por falta de respeito é deselegante mesmo se você for o melhor programador do pedaço.

 

Segundo: habilidades de negociação e conversação são tão importantes quanto código limpo e refatoração. 

Isso é uma coisa que aprendi apanhando bastante: vai chegar uma hora que seu código deixa de ser visto como legal e bem feito (afinal de contas você já virou expert nisso) e você será posto à prova liderando um time ou tendo um par de nível mais baixo que acabou de chegar na empresa… Ou pior, você vira um fornecedor de requisitos para o seu time! Agora, viver isolado no seu mundo ouvindo Spotify e vendo o feed do Twitter não vai adiantar de nada se você não tiver habilidades de negociação – afinal, você vai lidar com clientes que na maioria das vezes não entendem tanto de tecnologia como você, de liderança – sim, de ouvir e ser exemplo em atitudes não apenas com um belo código. Habilidades de negociação, técnicas de coaching, observação de cenários, assertividade e conhecimento amplo do negócio da empresa para o qual você está desenvolvendo uma solução são primordiais para começar a construir uma relação sólida entre time, gestão imediata e cliente. Seja um programador que entende o impacto das decisões do seu foreach para o time, clientes e para a empresa.

 

Terceiro: controle emocional is the new black.

Sério, você precisa segurar a onda quando o assunto envolve críticas e decisões com impacto negativo. Todos falham e você não é um robô porém precisa urgente entender que as críticas feitas ao seu trabalho não são feitas para você em 80% dos casos! Saber interpretar as críticas, analisar friamente o que ocasionou a falha e reagrupar para não repetir o que deu de errado (aliás, isso é um dos pilares do Agile Development, lembra?) vai te levar a uma relação mais sólida com seus pares e clientes. Claro, existem pessoas que não sabem dar feedback, mas isso não deve ser motivo para você se descontrolar e sair chutando o mundo. Se você explode com facilidade, acha que tudo é ruim no trabalho dos outros e fica sempre deixando transpassar o seu descontentamento com a situação que lhe irrita, está na hora observar e respirar um pouco.

 

Poderia listar mais e mais habilidades aqui, para não ficar cansativo vou indicar um livro e um podcast que me motivou a buscar um equilíbrio entre as minhas atitudes e o meu conhecimento técnico.

O livro é um velho conhecido deste meu espaço: Seja Assertivo de Vera Martins. Esse livro fala sobre como a assertividade pode te levar a ter relações melhores no ambiente pessoal e profissional.
O podcast (em inglês) é o que realmente puxou este tema aqui: Soft Skills Engineering  de Jamison Dance and Dave Smith. Esse podcast é leve e fala de temas como demissão, projetos pessoais, desenvolvimento pessoal e muito mais! Virei fã simplesmente pelo fato de dois devs abordarem de maneira divertida temas delicados quando o assunto é carreira.

É isso, espero que gostem!

comentários

comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *