Bruno Eugênio
A frase do post é do Michael Dell, famoso por largar um curso de medicina e empreender em um mercado em franca ascensão que era o mercado de PCs.
Hoje em dia, com os espaços (virtuais ou não) cada vez mais hiper conectados, as ideias surgem em profusão: Em uma conversa de bar, no encontro com os amigos da escola primária, em um jantar de casais… As ideias sempre surgem. Porém, quantas ideias destes insights são realmente desmembradas e ganham a luz do dia?
Por isso a frase do Dell faz todo o sentido: Hoje (mais do que anteriormente) a execução conta mais do que a ideia em si. Se você não lança o seu produto ou ideia, não terá feedback e, fatalmente, uma outra pessoa exposta a mesma situação ou problema, poderá propor (e executar) uma solução que fatalmente fará você bater com a mão na testa e dizer “eu já tinha pensado nisso antes, e sabia que poderia dar certo”.
Hoje, tanto para Startups quanto para projetos pessoais, há um sem número de métodos que ajudam a focar na execução de uma ideia, porém os métodos do Eric Ries (Lean Startup) e o livro do Scott Belsky (Behence) foram os que mais me ajudaram e que eu uso para iniciar projetos ou ajudar clientes. 
No Lean Statup, Eric fala sobre a importância de dar o menor passo executável (ou, como no livro, gerar o Minimo Produto Viável, ou MVP na sigla em inglês). Esse passo é cada vez mais importante seja para um novo projeto ou uma nova empresa hoje: Recentemente, minha querida irmã abriu uma casa de festas infantil, sem muitos brinquedos para às crianças, pois preferiu investir os esforços em um set mínimo de caracteristicas que as outras casas próximas não possuíam (localização de fácil acesso, espaço físico agradável). Rodou, pegou as primeiras festinhas quase no 0800 mas depois, com a garantia de um bom serviço, conseguiu mais festas e comprou os brinquedos mais sofisticados. Se ela tivesse esperado o tempo de juntar o dinheiro para comprar os brinquedos top, sem validar as ideias, o risco seria muito maior. Então, a ideia do MVP funciona para qualquer negócio não apenas para Startups. 
Já o Scott Belsky no seu livro “Fazendo Acontecer”, traz uma série de métodos e dicas para focar na execução dos projetos. Dividir, acompanhar e revisar atividades são as bases para fazer os projetos andarem em ritmo constante, sempre em frente. E como fazer isso? Bem, o básico mesmo é foco, métricas e organização… Parece fácil mas, quando se precisa realmente de foco, organização e, principalmente, fazer um benchmark das suas atividades, a maioria dos empreendedores simplesmente tremem. 
Então, para suas ideias não virarem apenas uma lembrança vaga, é recomendado que você pense em executar. Execute passos pequenos, meça, mexa, vá em frente ou desista se for o caso! 
É por isso que tem gente vendendo execução tão caro no mercado! Mas este é um assunto para um próximo post…

comentários

comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *