Bruno Eugênio

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje após um longo período de viagens estou organizando a casa e colocando as ideias para frente (e o sono também, afinal ninguém é de ferro…). Pois bem, uma das notícias que me chamou a atenção foi que a Prefeitura do Recife vai abrir as bases de dados e lançar um concurso para desenvolvimento de aplicativos que utilizem esses dados. Algumas cidades como New York (o melhor exemplo na minha opinião), Rio de Janeiro e algumas metrópoles espalhadas pelo mundo já perceberam que podem usar as informações coletadas em chamados, registros, reclamações a afins para facilitar a melhoria do transporte público, serviços de saúde e utilidade pública. E agora Recife, a Manguetown, vai tentar extrair algo parecido…
Bem, o site do projeto ainda não foi lançado e, conhecendo um pouco do cenário local, posso dizer que o site vai ser um pouco “simples” e não deverá prover dados muito complexos. Por quê? Não teremos uma API (Application Programming Interface) para documentar o material e prover um acesso simplificado (usando JSON, por exemplo). O governo do estado já tem um recuso semelhante, o portal de dados abertos, e neste podemos ver que o recurso é primitivo: PDF, CSV e XML. Nada que nós, desenvolvedores, não consigamos usar, porém é mais interessante criar uma interface e atualizar os dados diretamente da origem, não ficar lendo/convertendo tabelas. 
Agora no quesito “qualidade dos dados” vamos ter mesmo que aguardar até dia 17/07 (o lançamento vai ser na Campus Party Recife 2) para ver o que a prefeitura, EMPREL e demais envolvidos na empreitada tem a mostrar. E eu, sinceramente, não acho que sejam coisas muito diferentes das que já podem ser encontradas no portal dados do governo de Pernambuco. E olhe lá se não forem os mesmos dados. 
Eu sou fã da ideia do governo da Big Apple de criar toda uma comunidade em prol dos dados abertos e fazer com que esta comunidade tenha um real engajamento com a sociedade! O site http://nycbigapps.com/ traz aplicativos e uma plataforma completa para qualquer interessado fazer acontecer sua ideia. E claro que isso não se faz da noite para o dia e, também conhecendo o sistema de Recife, não sei se os envolvidos terão folego para manter a comunidade ativa em prol das melhorias que esse tipo de iniciativa pode trazer para uma cidade. Além de abrir os dados (com qualidade) é necessário educar toda uma geração para participar ativamente desses debates e prover recursos (não apenas prêmios em dinheiro, mas infraestrutura e engajamento dos governos) para colocar Recife no mapa das cidades que utilizam este tipo de abordagem colaborativa e aberta para melhorar a vida dos seus moradores.

UPDATE – 15/07/2013 às 14:35

O site do projeto de dados abertos da prefeitura do Recife saiu hoje pela manhã!
Bem, alguns conjuntos de dados já estão com JSON, contrariando a minha ideia porém, nem são todos! Mas já é uma boa notícia. A parte ruim fica mesmo pela qualidade dos dados disponibilizados: Nada de muito útil (Mapas de cemitérios? não…) mas temos coisas bacanas como os dados de orçamento da prefeitura, dados do SAMU (sistema de saúde nacional de resgate) e por ai vai. E CSV a gente dá um jeito! O site é o http://dados.recife.pe.gov.br

Para saber mais sobre Open Data Government:
ODG Site: http://opengovernmentdata.org/
New York Open Government (em Inglês): http://www.nyc.gov/html/digital/html/opengov/opengov.shtml
Página do Big Apps de NY: http://nycbigapps.com/
Modelo de dados abertos de NY (com API – em Inglês): https://data.cityofnewyork.us 
Modelo de dados abertos Pernambuco (sem API): http://www.dadosabertos.pe.gov.br
Matéria sobre o lançamento do programa de dados abertos em Recife: http://www2.recife.pe.gov.br/convenio-marca-abertura-da-base-de-dados-municipais/
Portal de dados abertos do governo federal: http://dados.gov.br/

comentários

comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *